Projeto de Salvaguarda do Samba de Roda reúne sambadores mirins na cidade de Saubara
Publicada em 16-11-2015



No último sábado, 14 de novembro, a cidade de Saubara foi contemplada com o encerramento do projeto de Intercâmbio com os Sambas de Roda Mirim. O projeto realizado pela Associação Chegança dos Marujos Fragata Brasileira, conta com a parceria da Associação dos sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia - SSEBA, entidade que vem implementando a salvaguarda do Samba de Roda há 10 anos. O projeto Samba de Roda Mirim – Preservando a Memória do Samba de Roda foi realizado em Santiago do Iguape na cidade de Cachoeira, Terra Nova, Salvador e Saubara.

O projeto contou com a participação de Sambas Mirins das cidades de Antonio Cardoso, Cachoeira, Terra Nova, Bom Jesus dos Pobres, Saubara, Acupe e Irará.

A dinâmica do projeto consiste em uma metodologia de transmissão oral pelos mestres dos saberes aos sambadores mirins e estudantes da rede pública municipal. No projeto os grupos receberam o apoio com instrumentos musicais para a execução do Samba de Roda.

"Com esse projeto, conseguimos, além de manter viva a memória dos mestres, garantir a salvaguarda do samba de roda por meio das crianças e jovens que podem perpetuar tudo isso”, menciona o coordenador geral da iniciativa, Rosildo Rosário.

Galdino Oliveira Souza, Coordenador Geral da ASSEBA e responsável pela Rede do Samba de Roda, vê novas e positivas expectativas no que se refere a continuidade do Samba de Roda. Galdino enfatiza o caminho percorrido pela ASSEBA desde a elaboração do dossiê até sua execução nos territórios do Recôncavo, Portal do Sertão e região Metropolitana de Salvador. Garante ainda que o Samba de Roda está assegurado a partir das novas gerações e das metodologias de educação patrimonial que vem sendo implementada com e para os futuros mestres.

O projeto foi aprovado através do Edital Nº 03/2014 – Apoio e Fomento a Salvaguarda de Bens Registrados como Patrimônio Cultural do Brasil e conta com o patrocínio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.


Fonte: Coordenação de Comunicação - ASSEBA
créditos - login