Sambadores comemoram 10 anos de registro do Samba de Roda como Obra Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade
Publicada em 25-11-2015
Em 25 de novembro de 2005, os meios de comunicação anunciavam a proclamação do Samba de Roda do Recôncavo Baiano como Obra Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - UNESCO. Após o Instituto  do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN inscrever o Samba de Roda no Livro das Formas de Expressão e registrar como Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil, a UNESCO outorga junto com outros bens mundiais um reconhecimento que é recebido com novas expectativas, em especial para os sambadores que veem na juventude a garantia de continuidade do Samba de Roda.

Há 10 anos, sambadores se reuniam em assembleias itinerantes discutindo propostas para o fortalecimento dos grupos de Samba de Roda. Atualmente os sambadores se reúnem para avaliação do plano de salvaguarda executado através de convênios com o IPHAN, de projetos com produções autônomas e suas participações em editais públicos. Se reúnem para propor novos encaminhamentos para os próximos anos de reconhecimento.

A A Coordenação Executiva da ASSEBA, representada pelo Coordenador Geral Galdino Oliveira Souza, parabeniza a todos os mestres e sambadores que tem assumido o compromisso com a sociedade, em especial com as crianças, através do Samba de Roda. Compromisso este que envolve oficinas educativas, apresentações, reuniões, inserção de sambadores nas universidades, palestras e uma infinidade de ações que permeiam e contribuem com a participação de sambadores em novos espaços.

As ilustrações abaixo trazem partes de uma publicação pelo IPHAN com o  objetivo de apresentar ao público o trabalho de registro do Samba de Roda.

  





Fonte: Comunicação - ASSEBA
créditos - login