ASSEBA completa 11 anos de constituição
Publicada em 17-04-2016

Assembleia Geral do Samba de Roda. Créditos> Raoni Souza


17 de abril de 2016, a Associação dos Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia - ASSEBA completou 11 anos de constituição. A entidade criada tendo como objetivo a defesa do Samba de Roda enquanto manifestação sócio-civilizatória afro-brasileira, através da produção de conhecimentos, serviços e ações voltadas para a promoção e afirmação do samba e dos sambadores e sambadeiras visando contribuir para a construção de uma sociedade multicultural, pluralista, justa e solidária.

Após uma série de assembleias itinerantes em diversas cidades na Bahia, em 17 de abril de 2005 na cidade de Saubara, sambadores, pesquisadores e apoiadores presentes na assembleia constituem a entidade. A demanda pela constituição de uma entidade representativa de todos os sambadores da Bahia, parte dos sambadores durante o processo de registro do Samba de Roda como Patrimônio Cultural e Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A ASSEBA está em seu quarto mandato de Coordenação Executiva, onde possui como Coordenador Geral o senhor Galdino Oliveira Souza da cidade de Feira de Santana. Os associados originam da região do Recôncavo, Metropolitana de Salvador, Portal do Sertão e demais localidades baianas. Atualmente a entidade conta com 151 grupos de Sambas de Roda com integrantes adultos e mirins.

Enquanto uma sociedade sem fins lucrativos que atua pelos direitos do Samba de Roda, é possível mensurar conquistas marcada por uma série de projetos envolvendo registro em áudio, vídeos, fotografias, publicações, produção de projetos de apresentações musicais na Bahia, no Brasil e no exterior.

Em 2013, o Ministério da Cultura reconhece a entidade e condecora com a Ordem de Mérito Cultural.

Das atividades da ASSEBA, menciona-se aqui o Encontro de Mestres e Mestras do Samba de Roda, Coletânea de CD’s Sambadores e Sambadeiras da Bahia, Catálogo Sambadores e Sambadeiras da Bahia, Ponto de Memória da Casa do Samba, além de outras atividades estendidas a cidades com Rede do Samba de Roda e aquelas onde a Rede ainda não foram instaladas.

A rede foi implantada em 2011 e é a primeira Rede de um bem cultural consagrado Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil. Atualmente a Rede atua em 15 municípios sendo: Centro de Referência do Samba de Roda – ASSEBA (Santo Amaro), Casa do Samba Dona Cadú (Maragogipe), Casa do Samba Dona Dalva Damiana (Cachoeira), Casa do Samba Dona Vanjú (São Félix), Casa do Samba Santa Cruz (Salvador), Casa do Samba Mestre Domingos Saul (Conceição do Jacuípe), Casa do Samba Sambadeira Frazinha (Saubara), Casa do Samba Zé de Lelinha (São Francisco do Conde), Casa do Samba Dona Maria Alvina (Simões Filho), Casa do Samba Mestre Raimundo (São Sebastião do Passé), Casa do Samba Mestre Celino (Terra Nova), Casa do Samba Mestre Pedro Joaquim (Teodoro Sampaio), Casa do Samba Doutor Deraldo Portela (Irará), Casa do Samba Dona Chica do Pandeiro (Feira de Santana) e Casa do Samba Terreiro das Umburanas (Distrito do Poço/Antonio Cardoso).

 


Fotos da Assembleia do Samba de Roda em 16/04/2016
Créditos: Raoni Souza





Fonte: Comunicação - ASSEBA
créditos - login